Com equipe renovada, conquistamos cinco vagas para o Mundial da Alemanha

Superação. Com uma equipe renovada, o Boxe do Brasil conquistou cinco vagas para o principal evento deste ano, o Campeonato Mundial da Alemanha. Quatro dos brasileiros classificados sentirão pela primeira vez a emoção de lutar contra os melhores atletas do planeta na mais disputada competição da modalidade. Além disso, no continental de Honduras conquistamos uma vaga a mais para o Mundial do que na ocasião do continental de 2015. Isso sem falar na maravilhosa medalha de Ouro conquistada por Beatriz Ferreira (60kg), que venceu na final a atual campeã Pan-Americana, Caroline Veyre, do Canadá.

O Brasil foi representado por sete atletas em Honduras. Quatro deles estrearam em Campeonatos Continentais de Boxe. Dois desses atletas não se intimidaram com a atuação dos 131 melhores boxeadores das Américas, se classificaram para o Mundial e são a prova de que o futuro do Boxe do Brasil tem tudo para continuar brilhando.

Cuba, Venezuela, Colômbia e Equador estiveram em Honduras com atletas experientes já “rodados” nas grandes competições internacionais do mundo. Com uma equipe renovada, demonstramos mais uma vez para o mundo do Boxe que temos potencial para vencer e continuar a escrever a história da modalidade.

Classificados

Michel Borges (81kg) foi o primeiro brasileiro a se classificar para o Mundial da Alemanha. Ele conquistou a medalha de Bronze e garantiu pela primeira vez em sua carreira a participação em um Campeonato Mundial.

O jovem Wanderson Souza (60kg) não desanimou com a derrota nas quartas de finais e lutou com muita garra na repescagem contra o atleta Jayro Duran, que contava com o apoio da torcida por ser atleta da casa. Ele precisou de apenas dois rounds para o juiz interromper o combate diante da sua superioridade em cima do ringue. Wanderson venceu por RSC R2, garantiu a sua estreia em um Campeonato Mundial e levará consigo uma bela lembrança de sua primeira participação em um Campeonato Continental.

Jhonathan Soares (69kg) também não sentiu o peso de representar o Brasil em uma competição deste nível. Ele conquistou com tranquilidade a sua vaga na repescagem vencendo por unanimidade o atleta Abraham Mora, da Costa Rica, carimbando a sua estreia em Mundiais.

Joedison Teixeira (64kg) conquistou a sua vaga lutando contra o boxeador Christiann Palacio, da Venezuela. Para não correr o risco de perder a chance da classificação, o brasileiro dominou o combate e venceu por unanimidade, 5:0. Pela primeira vez em sua carreira, Joedison representará o Brasil em um Mundial

Já com Juan Nogueira (91kg), a superação pode ser vista de um outro ângulo. Ele conquistou pela terceira vez em sua carreira a oportunidade de representar o Boxe do Brasil em Campeonatos Mundiais. Na repescagem, ele venceu por unanimidade o norte-americano Adrian Tillman.

Balanço

Hebert Souza (75kg) acabou não vencendo a luta da repescagem contra o guatemalteco Lester Martinez, mas está de parabéns por chegar às quartas de finais nesta que foi a primeira competição internacional de sua carreira.

Grazi Souza (51kg) pegou logo de cara aquela quer seria a campeã do Campeonato Continental, Virgínia Fuchs, que protagonizou uma grande campanha vencendo inclusive da medalhista olímpica Ingrit Lorena, da Colômbia. Carlos Silva (56kg) teve pela frente um experiente atleta da WSB, o dominicano Leonel Santos. Carlos não avançou na competição mas levará consigo a experiência de ter a chance de representar o Brasil em uma competição do nível de um Campeonato Continental.

Cinco dos sete atletas brasileiros da categoria masculina que estiveram em Honduras conquistaram as suas vagas para o Mundial da Alemanha. Seguiremos firmes com o propósito de acreditar no Boxe do Brasil, trabalhando duro para que o Boxe continue a ser uma das mais vitoriosas modalidades do Esporte do Brasil.