História do Boxe Olímpico

 

O registro da primeira atividade de pugilismo aconteceu no Egito, por volta de 3000 a.C. Os lutadores estavam nus e o evento fez parte das festividades do rei. A partir de então, o Boxe evoluiu ao longo dos anos até que, em 688 a.C., tornou-se uma modalidade olímpica a partir da edição dos Jogos Olímpicos da Antiguidade que ocorrera em Olímpia, na Grécia.

Um homem chamado Onosmastos de Esmirna entrou para a história do Boxe ao se tornar o primeiro campeão de Boxe dos Jogos Olímpicos. A partir da introdução do Boxe nos Jogos Olímpicos da Antiguidade, há mais de 2.600 anos a nobre arte permanece no programa olímpico. A primeira competição de Boxe nos Jogos Olímpicos da era moderna aconteceu na edição de 1904, em St-Louis (EUA), com sete categorias de peso.

Anos mais tarde, representantes das confederações nacionais de Brasil, Inglaterra, França, Bélgica e Holanda se encontraram em uma conferência com o objetivo de discutir sobre a criação de uma federação internacional de Boxe. Em 1920, durante a realização dos Jogos Olímpicos de Antuérpia, na Bélgica, foi criada a Federação Internacional de Boxe Amador. Este foi um marco importante para o Boxe Olímpico na medida em que possibilitou o desenvolvimento rápido das competições internacionais, ampliando o horizonte dos atletas a partir da criação de torneios que contaram com a participação de equipes de diversos países do mundo.

Em 1946, a FIBA foi dissolvida e a Associação de Boxe Amador inglesa se uniu com a Federação Francesa de Boxe para criar a Associação Internacional de Boxe Amador – AIBA. Há mais de 65 anos a AIBA continua a regular as mais importantes competições internacionais de Boxe Olímpico, inclusive nas edições dos Jogos Olímpicos.

Datas importantes na história do Boxe Olímpico

1906 – O exame médico passa a ser obrigatório antes das competições

1926 – A FIBA decide limitar um boxeador por país em cada categoria de peso. Os rounds foram limitados em três, de três minutos, por luta.

1931 – Antes dessa data, o árbitro da luta atuava do lado de fora do ringue, sentado em uma cadeira alta. O árbitro passa a acompanhar a luta de dentro do ringue. Juízes também passam a atuar ao redor do quadrilátero.

1950 – As categorias do Boxe Olímpico passam de oito para dez. Nesse ano foi decidido pela AIBA que a partir dos Jogos Olímpicos de 1952, em Helsink, na Finlândia, os perdedores das semifinais ganhariam automaticamente a medalha de bronze.

1968 – A categoria mosca-ligeiro foi introduzida nos Jogos Olímpicos da Cidade do México. O Boxe Olímpico passa a ter 11 categorias.

1972 – A superfície branca na parte da frente das luvas de Boxe é utilizada pela primeira vez naquele ano nos Jogos Olímpicos de Munique, na Alemanha Ocidental.

1974 – O Campeonato Mundial de Boxe Amador é realizado pela primeira vez. O evento aconteceu em Cuba. Atualmente acontece de dois em dois anos e é uma das competições mais competitivas e importantes do calendário mundial de Boxe Olímpico.

1994 – No 13º Congresso da AIBA, realizado em Pequim com a participação de 187 federações nacionais, algumas resoluções foram definidas e perduram até hoje. Com o objetivo de aumentar a segurança dos atletas, a utilização da luva de 10 onças passa a ser obrigatória. O limite máximo de idade foi estendido para 34 anos. Outra decisão importante foi o reconhecimento por parte da AIBA ao Boxe Feminino.

2009 – Lançamento do World Series of Boxing (WSB).

2010 – O Conselho Executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI) aceita a introdução do Boxe Feminino nos Jogos Olímpicos em três categorias de peso. O Boxe Masculino passa a ter, a partir de então, 10 categorias de peso.

2011 – Lançamento da AIBA Pro Boxing (APB)